Notícias e informações relevantes para os moradores da região noroeste da cidade de São Paulo

Com Black Friday, comércio tem melhor novembro desde 2000

Volume de vendas no varejo subiu 2,9% na comparação mensal e 4,4% em relação a 2017

Foto: Divulgação

Publicado às 8h40

Folha de SP e Reuters

Puxado pelas promoções da Black Friday, o volume de vendas no varejo subiu 2,9% em novembro, na comparação com o mês anterior, e registrou a segunda maior alta mensal da série histórica iniciada em 2000, informou o IBGE nesta terça-feira (15).

Em relação ao mesmo período do ano anterior, o crescimento foi de 4,4%.

Foi o melhor resultado para novembro em 18 anos, e a alta no mês só não superou a de janeiro de 2017, quando as vendas cresceram 4% em relação a dezembro de 2016. O avanço de novembro do ano passado também interrompe duas taxas negativas consecutivas, período em que o varejo acumulou perda de 1,8%.

“O eixo do comércio tem se deslocado no fim do ano de dezembro para novembro. Há uma antecipação de compras de Natal aproveitando as promoções da Black Friday. Nos últimos anos, novembro tem sido um mês até mais forte que dezembro”, disse a gerente da pesquisa do IBGE, Isabella Nunes. ​

Segundo o IBGE, um indicador da importância das promoções no resultado foi a forte alta do grupo outros artigos de uso pessoal e doméstico, que cresceu 6,9% ante outubro (quando avançou apenas 0,6%) e 16,9% em relação a novembro de 2017. A categoria engloba lojas de departamentos, óticas, joalherias, artigos esportivos, brinquedos, entre outros.

“Quem mais influenciou o resultado positivo foram justamente as atividades mais sensíveis às promoções da Black Friday. São atividades que têm uma concentração de empresas que se beneficiam mais das vendas online, que é o foco das promoções de novembro. Observamos isso em relação a outubro, mas também com relação a novembro do ano passado”, afirma Nunes.

Destaque também para as categorias de móveis e eletrodomésticos, que cresceu 5% em novembro na comparação mensal, e de artigos farmacêuticos, médios e ortopédicos, com alta de 2,8%.

Com o resultado, o comércio acumula crescimento de 2,5% em 2018 e de 2,6% nos últimos 12 meses.

“O patamar atual de vendas está próximo de junho de 2015. Ele coloca o comércio na menor distância do pico da série histórica desde então. Porém, mesmo com esse avanço importante, ainda está 5,1% abaixo do recorde, que foi em outubro de 2014″, diz Nunes.

O chamado varejo ampliado, que inclui material de construção e veículos, teve alta de 1,5% em novembro em relação a outubro e 5,8% na comparação com 2017.

Deixe uma mensagem

Seu e-mail não será publicado.