Notícias e informações relevantes para os moradores da região noroeste da cidade de São Paulo

Com saída de médicos cubanos, mais de 400 profissionais deixam região metropolitana de SP

Das 39 cidades, 26 estão no programa Mais Médicos. Inscrições de candidatos para ocupar as vagas começaram nesta quarta (21) e vão até dia 25

Médicos cubanos que chegaram ao Brasil no início do programa Mais Médicos. Foto: Reprodução

Publicado às 9h50

G1 São Paulo

Com a saída de médicos cubanos do Programa Mais Médicos, do governo federal, mais de 400 profissionais vão deixar a região metropolitana de São Paulo. A carência de profissionais já é sentida em diversas Unidades Básicas de Saúde dos municípios.

Cidades que mais perderam médicos cubanos:

  • Capital – 72
  • Guarulhos – 28
  • Itapevi – 21
  • Itapecerica da Serra – 19
  • São Bernardo do Campo – 17
  • Embu-Guaçu – 15

As inscrições de candidatos para ocupar essas vagas começaram nesta quarta-feira (21) e vão até o dia 25. Das 39 cidades que compõem a região metropolitana, 26 estão no programa e devem receber novos médicos. Só na capital, são 78 vagas.

Em São Bernardo do Campo, a UBS do bairro Taboão perdeu a única médica cubana que fazia parte do quadro de funcionários.

Os colegas dela, que não puderam gravar entrevista, explicaram que a médica era clínica geral e que já não trabalhou nesta quarta-feira (21).

A equipe lamentou a saída e disse que não sabe como a situação vai ficar. A cidade perdeu, ao todo, 17 médicos cubanos que atendiam pelo programa.

Em uma outra UBS um neurologista cubano parou de trabalhar nesta terça (20). Os funcionários da unidade dizem que a partir de agora vão transferir as consultas marcadas com esse médico para outros profissionais. vani cazela,

“Tinha consulta com esse médico, vai ter que ser remarcado, portanto, não tem médico. Eu queria receita nova pra mim pegar novos remédios. E se eu não tiver agora como vou pegar remédios?”, questiona Vani Cazela.

Em nota, a Prefeitura de São Bernardo do Campo afirma que vai remanejar outros profissionais para os locais mais afetados e que aguarda orientações do Ministério da Saúde.

Em itapevi, a Prefeitura informou que perdeu 21 médicos. Todos trabalhavam nas Unidades de Saúde da Família. Os médicos que restaram foram acionados para organizar um sistema de plantão, para cobrir emergencialmente o atendimento.

Itapecerica da Serra perdeu os 19 médicos cubanos. A Prefeitura informou que dez UBSs ficaram desfalcadas. Na porta de uma delas, um aviso já indica a falta de clínico geral.

“Já é difícil marcar uma consulta com elas, imagina sem elas”, revelou uma paciente. “Não tenho mais como pegar os remédios porque a receita venceu”, contestou outra.

Em Embu-Guaçu, 15 médicos foram embora. Sobraram só dois médicos na atenção básica. A Prefeitura diz que não vai recontratar, irá tentar se organizar.

Deixe uma mensagem

Seu e-mail não será publicado.