Notícias e informações relevantes para os moradores da região noroeste da cidade de São Paulo

Confira oito curiosidades e polêmicas sobre o filme ‘Aladdin’

Tudo por trás da mágica do clássico da Disney

Publicado às 10h15

Portal TemLondrina

Na semana passada o aguardado filme ‘Aladdin’, dirigido por Guy Ritchie, estreou nas telonas do Brasil.

É a primeira vez que o gênio, vivido por Will Smith, vira humano. Isso por si só já causou repercussão na internet. Tudo porque a pele azul do gênio aparece em cenas feitas com ajuda da computação gráfica. Já que filmes live-action são uma representação fiel da animação, fãs não entenderam o porquê da escolha dos criadores.

Mas essa é apenas uma das polêmica e curiosidades do filme Aladdin, live-action do desenho lançado em 1992.

Oito curiosidades e polêmicas:

1 – O filme terá músicas da animação original e novas faixas inéditas produzidas pelos mesmos compositores de ‘La La Land’, Benj Pasek e Justin Paul, Alan Menken, compositor vencedor do Oscar, prepara novas gravações das músicas originais, bem como duas novas músicas escritas pelos compositores.

2 – As primeiras cenas divulgadas do filme ‘Aladdin’ despertaram outras controvérsias, pelo fato de a princesa Jasmine ser interpretada por uma atriz britânica, Naomi Scott. Outra questão é que a história de Aladin se passa na cidade fictícia de Agrabah. Segundo o jornal americano ‘National Post’, não há uma confirmação se essa localização teria origem egípcia ou indiana.

3 – O ator Mena Massoud, que interpreta Aladin, é egípcio, mas ha quem afirmar que o mais correto seria ter escalado um ator indiano. Dev Patel foi um dos atores mais citados pelos internautas. O britânico de origem indiana ficou conhecido após o sucesso do longa ‘Quem Quer Ser um Milionário’ (2008).

4 – O ator holandês com ascendência tunisiana Marwan Kenzari, 34 anos, foi escolhido para viver Jafar, o vilão de ‘Aladdin’ na versão com atores da animação de 1992. A escalação de Kenzari para o papel surpreendeu internautas. Além de ser fisicamente diferente do Jafar do desenho animado (que é magro e aparenta ser bem mais velho que os protagonistas) ator foi considerado bonito demais para ser o vilão. Um vídeo destacando os atributos físicos de Kenzari circulou nas redes sociais; no Facebook teve mais de 200 mil visualizações.

5 – O roteiro de ‘Aladdin’ foi escrito por John August, que trabalhou em ‘Peixe Grande’ (2003) e ‘A Fantástica Fábrica de Chocolate’ (2005).

6 – Will Smith decidiu fazer o papel do gênio no filme ‘Aladdin’ por sugestão de seu filho Jaden, de 20 anos. O astro de Hollywood revelou em coletiva de imprensa na Jordânia, onde ‘Aladdin’ foi filmado, que teve muitos problemas para escolher entre tantos filmes oferecidos. “O último foi o do gênio”, disse Smith.

7 – A Jordânia emprestou suas paisagens para o cenário, incluindo o vale do deserto de Wadi Rum, conhecido por sua areia ocre e localizado no sul do país. Também chamado de “O Vale da Lua”, o local é um dos mais importantes destinos turísticos da Jordânia, especialmente trekkers e alpinistas.

8 – O Conto de Aladim é um dos mais famosos da coletânea árabe ‘As Mil e Uma Noites’. Sabe-se, porém, que a história foi acrescentada à coletânea pelo orientalista francês Antoine Galland, responsável pela tradução que popularizou a obra no Ocidente. A origem do conto é difícil de datar pela falta de elementos no texto que ajudem a situar a ação. Segundo o estudioso René R. Khawam, é possível que o conto tenha origem na segunda metade do século XI, entre a história de Simbad (fins do século VIII) e as Mil e Uma Noites (compiladas em árabe a partir do século XIII). Outros supõem uma origem ainda mais antiga, como E. Gáll, que encontrou paralelos com histórias contidas em papiros da Antiguidade helenística e romana do Egito e com a prática do roubo de tumbas egípcias, o que o fez propor que a história poderia se ter originado no século VII, após a conquista árabe do Egito. Ainda outros autores creem que o conto de Aladim contém muitos elementos europeus – introduzidos na versão de Galland – e que as versões árabes, inclusive as folclóricas, seriam baseadas nesta.

Deixe uma mensagem

Seu e-mail não será publicado.