Notícias e informações relevantes para os moradores da região noroeste da cidade de São Paulo

General da reserva do Exército deverá comandar Segurança no governo Doria

Militar já se reuniu com governador eleito em SP e deve resolver disputa entre polícias

Governador João Doria e o Presidente Jair Messias Bolsonaro em reunião em Brasília. Foto: Reprodução/Twitter

Publicado às 9h40

Folha de SP

O general da reserva João Camilo Pires de Campos, que foi comandante militar da região Sudeste, deverá ser o novo secretário de Segurança Pública de São Paulo a partir de 2019.

Campos foi um dos responsáveis pela área de segurança do programa de governo de Geraldo Alckmin (PSDB) à Presidência daRepública e passou para a reserva após 48 anos de serviços no Exército.

Já houve uma primeira reunião entre o governador eleito João Doria (PSDB) e o general, na qual o convite foi feito.

Se ele for aceito, será a primeira vez que um nome do Exército comanda a Secretaria da Segurança Pública em São Paulo desde 1979, quando Erasmo Dias foi titular da pasta.

Confirmada a escolha, Doria resolverá uma disputa entre as polícias Civil e Militar pelo comando da pasta.

O tema foi uma das prioridades de Doria na disputa eleitoral. Entre as suas promessas, estava a de nomear um policial para a secretaria, quebrando a tradição de escolher um representante do Ministério Público para a função.

“Eu asseguro a vocês que não teremos um promotor nem uma promotora à frente da secretaria. Reforço, sem nenhuma desqualificação e nenhum diminutivo à Promotoria”, disse ele na campanha.

Doria foi aconselhado por auxiliares, no entanto, a recuar parcialmente de sua promessa, sob o risco de começar o novo governo tendo de administrar um mal-estar entre as polícias.

Se escolhesse um policial civil, irritaria os policiais militares. Se escolhesse um policial militar, traria desconforto para os policiais civis.

Nesta quarta (7), Doria divulgou foto em rede social ao lado do presidente eleito –durante a campanha ele não foi recebido por Bolsonaro quando viajou ao Rio.

​Doria já anunciou nesta semana três ministros da gestão Michel Temer (MDB) como futuros secretários de seu governo em São Paulo.

O ex-prefeito da capital paulista Gilberto Kassab (PSD), atual ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, assumirá a Secretaria da Casa Civil.

Kassab tornou-se réu em setembro deste ano devido a ação do Ministério Público de São Paulo que o acusa de ter recebido via caixa dois o valor de R$ 21 milhões durante campanha para prefeito em 2008. Doria e Kassab disseram que as acusações não influenciarão em nada no mandato. ​

Na terça (6), Doria anunciou Rossieli Soares da Silva, titular do Ministério da Educação, para a pasta da Educação e, para a Secretaria da Cultura, o atual ministro da pasta federal, Sérgio Sá Leitão.

Na campanha eleitoral, Doria usou a gestão Temer para atacar adversários. Em debates e programas de rádio e TV, buscou desgastar seu adversário na corrida estadual, Paulo Skaf (MDB), ao associá-lo ao presidente da República.

Deixe uma mensagem

Seu e-mail não será publicado.