Notícias e informações relevantes para os moradores da região noroeste da cidade de São Paulo

Mais viadutos de SP podem ser fechados, afirma Bruno Covas

Decisão dependerá de resultados das vistorias contratadas. Município remanejou R$ 55 mi para reparar estruturas

Alça interditada é um dos acessos da capital ao Aeroporto Internacional de Cumbica; alternativa para o terminal é pegar a Ayrton Senna. Foto: Gabriela Bilo/Estadão

Publicado às 10h25

Agência Estado

O prefeito Bruno Covas (PSDB) disse ao Estado que a capital paulista pode ter novas interdições de pontes e viadutos, a depender dos resultados das vistorias contratadas pelo Município. Nesta quarta-feira, 23, uma alça de acesso da Marginal do Tietê à Via Dutra foi fechada por risco estrutural. Depois disso, Covas decidiu ainda remanejar R$ 55,9 milhões que serão arrecadados com multas de trânsito neste ano para reparar pontes e viadutos com problemas.

“O laudo pode apontar que não há necessidade de fazer nada; pode apontar que é preciso fazer uma obra, que pode esperar x meses – o tempo que leva poder contratar via (Lei federal) 8.666 (de Licitações) –; e pode dizer que é algo que não dá para esperar. Nesse caso, teremos de fazer contratação emergencial para obra”, afirmou Covas.

“O importante é saber o seguinte: por conta do incidente lá no viaduto da Marginal do Pinheiros (que cedeu em 15 de novembro) a gente aprendeu a fazer lição de casa e a Prefeitura está fazendo”, acrescentou.

A ponte de acesso à Dutra está interditada por tempo indeterminado. Já o viaduto da Marginal do Pinheiros está em obras e tem reabertura prevista somente para maio.

Como a Dutra é uma via federal, a Prefeitura negociou com o Ministério da Infraestrutura a solução para o problema. Em nota, a pasta disse estar de “acordo com a iniciativa da Prefeitura para o início imediato das obras emergenciais na ponte interditada”. Covas havia se oferecido para executar os reparos e, depois, negociar um ressarcimento aos cofres municipais. A jornalistas, Covas evitou responsabilizar o ministério pelo problema e disse que não é hora de fazer “caça às bruxas”.

A transferência dos recursos de multas para reparos em viadutos foi autorizada pelo Fundo Municipal de Desenvolvimento do Trânsito este mês. Como o Estado revelou nesta quarta, o orçamento municipal para essa finalidade em 2019 é de 31,7 milhões – 28% menos do que o previsto no ano anterior.

O prefeito comentou a relação com o Tribunal de Contas do Município (TCM) no caso. “Eles tão cumprido o papel deles. Você dizer que vai fazer uma contratação emergencial, não é uma coisa simples, não é uma coisa que para um órgão de Controle sai naturalmente. ‘Não, espera um pouco, como é que você não vai fazer algo que respeita todos os prazos e todas as exigências da 8666’, né? O Tribunal de Contas fica ressabiado, o Ministério Público, a Câmara de Vereadores, a própria sociedade fica.”

Outros viadutos

Nesta quinta, a Prefeitura ainda publicou no Diário Oficial da Cidade a contratação de oito empresas de engenharia para realizar a vistoria de emergência em oito pontes – como as da Casa Verde e do Tatuapé – já inspecionados visualmente pela Prefeitura, que viu riscos graves. As empresas têm prazo de 120 dias para apresentar seus laudos para a gestão Covas, com as obras recomendadas.

 

Deixe uma mensagem

Seu e-mail não será publicado.