Notícias e informações relevantes para os moradores da região noroeste da cidade de São Paulo

Prefeitura de São Paulo estuda introduzir ônibus sem cobrador na cidade

Sindicato da categoria pede mais diálogo antes da decisão; segundo a SPTrans, apenas 5% dos passageiros pagam a tarifa em dinheiro

Foto: Robson Ventura/Folhapress

Publicado às 10h

G1 São Paulo

A Prefeitura de São Paulo estuda a implantação de ônibus sem cobrador a partir de setembro. A informação consta em uma carta circular emitida pela empresa responsável pelos coletivos da cidade, a São Paulo Transporte (SPTrans), à qual o G1 teve acesso.

O documento número 005/2019, que começou a circular em 11 de junho, recomenda que as empresas donas dos ônibus alterem os desenhos dos coletivos “padron” (veículos com até 15 metros de comprimento) e básicos, buscando eliminar a cadeirinha do cobrador.

Só não entram nessa autorização os ônibus articulados ou biarticulados, que têm capacidade para mais passageiros.

A cobrança da tarifa seria feita pelos próprios motoristas, assim como atualmente acontece em cerca de 6 mil veículos de linhas do subsistema local (que ligam bairros aos terminais de Metrô).

Na cidade de Diadema, por exemplo, os ônibus de toda a cidade já circulam sem cobrador desde o ano de 2017.

Sindicato

O Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (SPurbanuss), ao tomar conhecimento da circular, procurou a Secretaria Municipal dos Transportes para pedir esclarecimentos.

Os representantes da categoria estimam que 20 mil trabalhadores podem ser afetados com essa nova recomendação, e que nem todos têm aptidão para migrar para outras profissões, como a de motorista ou de técnico de manutenção.

Os sindicalistas se posicionaram contrários à retirada dos cobradores sem uma conversa ampla e um debate detalhado sobre o tema.

“Se não houver discussões, na força não vai rodar. Isso nós podemos assegurar. O sindicato não permitirá que as empresas operem sem o cobrador e sem uma ampla discussão profissional e com os trabalhadores”, declarou Francisco Xavier da Silva Filho, secretário-geral do SPurbanuss.

A SPTrans, por sua vez, garante que nenhum trabalhador será demitido, afirmando que os profissionais já passam pelo processo de reciclagem. A empresa acrescenta que apenas 5% das tarifas são pagas em dinheiro.

Secretaria cria comissão

O Secretário Municipal de Mobilidade e Transportes, Edson Caram, criou, por meio de uma portaria publicada no Diário Oficial desta terça (25), uma comissão para debater a requalificação dos cobradores de ônibus.

Essa comissão é composta por SPTrans, SPurbanuss, Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo e pela própria pasta. O prazo para a apresentação dos projetos é de 90 dias, contados a partir desta terça.

Deixe uma mensagem

Seu e-mail não será publicado.