Notícias e informações relevantes para os moradores da região noroeste da cidade de São Paulo

Secretário da Educação de SP deixa cargo após 6 meses à frente da pasta

Cury Neto assumiu em janeiro após o prefeito Bruno Covas (PSDB) exonerar Alexandre Schneider, que era o então secretario na gestão de João Doria (PSDB)

Cury em evento para lançar Idep nesta quarta-feira (3). Foto: Reprodução/TV Globo

Publicado às 9h30

G1 São Paulo

Após seis meses no cargo, o secretário municipal da Educação João Cury Neto anunciou em evento nesta quarta-feira (3) que vai deixar a pasta.

Também presente no evento desta quarta, Covas agradeceu o trabalho de Cury, a quem chamou de “irmão”. À imprensa, ele negou que a saída tenha sido motivada por desentendimentos.

“A partir de amanhã ele vai trabalhar junto comigo na implementação não apenas da secretaria da Educação, mas de todos os programas do plano municipal de metas. Vai ser um cargo no gabinete do prefeito”, disse Covas.

De acordo com o prefeito, o próximo secretario será Bruno Caetano, ex-presidente do Sebrae.

Reportagem do jornal Folha de S. Paulo afirma que Covas teria sido pressionado por João Doria a fazer a troca, uma vez que Cury virou seu desafeto em 2018 após aceitar o convite do rival Márcio França (PSB) para a Secretaria Estadual da Educação. Cury foi prefeito de Botucatu, no interior do estado, de 2009 a 2016.

“As pessoas vêem muito filme de Hollywood e adoram acreditar numa trama, mas não tem nenhum problema em relação a isso”, disse Covas.

Saída de Schneider

Nome ligado ao ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD), Schneider estava desgastado na Prefeitura desde a gestão de João Doria (PSDB).

Em 2017, Schneider foi totalmente contra a implementação da farinata, polêmico complemento alimentar que Doria queria colocar na merenda rede pública de ensino. No ano passado, às vésperas do segundo turno, Schneider declarou que votaria em Fernando Haddad (PT) para presidente da República.

Deixe uma mensagem

Seu e-mail não será publicado.