Notícias e informações relevantes para os moradores da região noroeste da cidade de São Paulo

‘Temos condições de votar a Previdência em dois turnos nesta semana’, diz Maia

De acordo com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, resultados das votações da última terça-feira, 9, 'são boas referências'

Rodrigo Maia abriu sessão nesta terça-feira, 9, para deliberação da reforma. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Publicado às 9h45

Agência Estado

Após encerrar os trabalhos sem esgotar nem mesmo as votações de requerimentos da oposição para o adiamento da deliberação sobre a reforma da Previdência, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a dizer nesta quarta-feira, 10, que acredita haver condições para que o texto seja voltado em dois turnos no plenário da Casa ainda nesta semana.

“Os resultados das votações (de requerimentos) hoje são boas referências, mas o mérito é o mérito. A cada minuto as coisas avançam e recuam, mas o papel dos líderes é organizar. Nesta noite, já tivemos bons resultados”, afirmou, ao deixar a Casa.

O plenário da Câmara aprovou no começo da madrugada desta quarta, por 353 votos a 118, o requerimento apresentado pelo PSL para o encerramento da discussão sobre a reforma. Na sequência, Maia encerrou os trabalhos e convocou nova sessão para esta quarta-feira, 10, às 9h.

Mais cedo, o plenário havia rejeitado por 331 votos a 117 outro requerimento para a retirada da Previdência da pauta da sessão desta terça. A oposição, no entanto, fez obstrução aos trabalhos por meio da apresentação de diversos requerimentos de adiamento da votação, que deverão ser deliberados, um de cada vez, a partir da manhã desta quarta.

Até agora, foram apresentados 77 destaques ao texto principal da reforma, sendo 18 deles de bancada e os outros 59 individuais – que podem ser rejeitados em bloco. Novos destaques podem ser apresentados até o início da votação do texto.

Faltam 10 votos para reforma ser aprovada na Câmara

Subiu para 298 o número de deputados favoráveis à reforma da Previdência. Deste total, apenas 25 condicionam o voto “sim” a mudanças o texto. O número é referente ao levantamento até à 1h15 do Placar da Previdência, ferramenta é atualizada constantemente pelo Estado.

O número de votos contrários chegou a 117. Até o momento, 24 ainda se dizem indecisos. Outros 65 deputados não quiseram responder. Apenas sete deputados não responderam aos questionamentos da reportagem.

Para aprovar o texto na Câmara, são necessários 308 votos, em dois turnos. Esse apoio, porém, é o maior já registrado em todas as edições do Placar da Previdência já feitas pelo Estado.

Nos cálculos do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, o governo já conta com 330 votos para aprovar a proposta na Câmara.

O Estado procura todos os 513 deputados nas últimas duas semanas por telefone, e-mail ou assessoria de imprensa. Pelo placar, os leitores podem se comunicar, por e-mail, com os deputados para cobrá-los sobre seu posicionamento.

O PSL, partido do presidente, passou a dar 44 votos já certos para aprovar o texto, de uma bancada de 54 deputados. No domingo, o número era quatro números menor. Já o DEM, de Maia, garantia 28 votos favoráveis de um total de 30 deputados. O presidente da Câmara não vota.

A cada 3 deputados sulistas, 2 declararam apoio à reforma da previdência em trâmite na Câmara dos Deputados. O menor apoio está no Nordeste: 41% da bancada de 151 deputados se manifestaram a favor do texto.

Deixe uma mensagem

Seu e-mail não será publicado.